Cirurgia Bariátrica e o Álcool

Cirurgia Bariátrica e o Consumo de Álcool

Autor

Facebook
LinkedIn
WhatsApp
Pinterest

Tópicos do Post

Tratando a Obesidade com Alterações Gastrointestinais

A cirurgia bariátrica, popularmente conhecida como “redução de estômago”, diz respeito a diversas alterações morfológicas e fisiológicas no aparelho gastrointestinal do paciente, a fim de tratar a obesidade e as consequências dela para a saúde Estas alterações culminam na redução de volume do estômago e consequente diminuição da capacidade absortiva do órgão (Alves, Márcio – BIREME/OPAS/OMS; 2021).

A cirurgia é indicada para pacientes obesos com Índice de Massa Corporal (IMC) acima de 40 que tenham doenças decorrentes deste alto IMC como diabetes, hipertensão, colesterol alto e esteatose hepática (gordura no fígado) (Alves, Márcio – BIREME/OPAS/OMS; 2021).

Cuidados Pós Cirurgia Bariátrica

Por ser uma cirurgia invasiva, há necessidade de extrema atenção quanto aos cuidados pós cirúrgicos para que se tenha os resultados esperados e eventuais complicações sejam mitigadas (SOCIEDADE BRASILEIRA DE CIRURGIA BARIÁTRICA E METABÓLICA; 2021).

Tais precauções envolvem atenção à: alimentação que deve ser específica e na textura correta, que evolui com o passar do tempo (líquida, pastosa ou branda e sólida); ingestão de água; sinais do corpo, à exemplo de dor e febres persistentes; reposição vitamínica; acompanhamento multidisciplinar com nutricionistas e psicólogos. (SOCIEDADE BRASILEIRA DE CIRURGIA BARIÁTRICA E METABÓLICA; 2021).

Além disso, indivíduos pós-bariátricos devem ter um cuidado especial em relação à ingestão de álcool, uma vez que a cirurgia vem sendo associada a um aumento do consumo abusivo do álcool, principalmente para tipos de cirurgias bariátricas que, ao alterar a anatomia do trato gastrointestinal, alteram também parâmetros fisiológicos, que interagem com o cérebro, são as chamadas cirurgias metabólicas, como a Y-de-Roux (BGYR) (Mellinger et al, 2021; Ivezaj et al, 2019).

Fatores que Levam à Dependência de Álcool em Pacientes Pós-Bariátricos

A tendência a desenvolver dependência ao álcool pode se dar por diversos fatores, entre eles, a diminuição da enzima álcool desidrogenase no estômago, responsável pelo metabolismo da substância no organismo. Junto a esse fator, está também a condição de diminuição do volume do estômago e a aceleração do esvaziamento do mesmo, levando a uma absorção mais rápida e intensa do álcool no jejuno. Dessa forma, há uma maior exposição a picos de altos níveis de álcool no sangue, quando comparados ao organismo prévio à cirurgia (Cerón-Solano et al, 2021, Mellinger et al, 2021).

Ainda, a cirurgia bariátrica gera modificações na regulação endócrina da saciedade, fazendo com que pós-operados tenham uma maior sensibilidade à grelina (hormônio que provoca a sensação de fome), que pode contribuir no aumento do consumo de etanol (Cerón-Solano et al, 2021).

Importante destacar que a diminuição da capacidade gástrica por comidas sólidas, além das modificações hormonais já citadas, podem ser associadas à mudanças notáveis nos “centros de recompensa” do cérebro após cirurgia, favorecendo o consumo do álcool ao validar o ato de o consumir como algo satisfatório (Ivezaj et al, 2019).

Alternativas saudáveis pós cirurgia

Se você já realizou ou vai realizar uma cirurgia bariátrica, não quer deixar de ingerir bebidas em momentos diversos, como de confraternização, e, ainda assim, promover sua saúde, a Empório Sem Álcool é sua aliada! Através das bebidas sem álcool, a confraternização sempre estará garantida. Para mais informações, acesse o link.

Referências

Alves, Márcio – BIREME/OPAS/OMS. Cirurgia Bariátrica (Cirurgia de Redução do Estômago) | Biblioteca Virtual Em Saúde MS. 2021. Disponível em: bvsms.saude.gov.br/cirurgia-bariatica/. Acesso em 11 de junho de 2022.

Cerón-Solano G. et al. Bariatric surgery and alcohol and substance abuse disorder: A systematic review. Cir Esp (Engl Ed). 2021. English, Spanish. Disponível em: doi: 10.1016/j.ciresp.2021.03.006. Acesso em 13 de junho de 2022.

Heinberg LJ, Ashton K, Coughlin J. Alcohol and bariatric surgery: review and suggested recommendations for assessment and management. Surg Obes Relat Dis. 2012. Disponível em: doi: 10.1016/j.soard.2012.01.016. Epub 2012 Feb 2. Acesso em 11 de junho de 2022.

Ivezaj, V. et al. Changes in Alcohol Use after Metabolic and Bariatric Surgery: Predictors           and Mechanisms.  2019.   Disponível  em: https://doi.org/10.1007/s11920-019-1070-8. Acesso em 13 de junho de 2022.

Mellinger JL et al. Bariatric surgery and the risk of alcohol-related cirrhosis and alcohol misuse. Liver Int. 2021. (5):1012-1019. Disponível em: doi: 10.1111/liv.14805. Acesso em: 13 de junho de 2022.

SOCIEDADE BRASILEIRA DE CIRURGIA BARIÁTRICA E METABÓLICA. “Confira 5 Cuidados Necessários No Pós-Operatório de Bariátrica” [online]. 2019a. Disponível em:www.sbcbm.org.br/confira-5-cuidados-necessarios-no-pos-operatorio-de-bariatrica/#:~:t ext=%E2%80%9CGeralmente%20devem%20ser%20consumidos %202. Acesso em 11 de junho de 2022.

SOCIEDADE BRASILEIRA DE CIRURGIA BARIÁTRICA E METABÓLICA. “Consenso -Sociedade Brasileira de Cirurgia Bariátrica E Metabólica” [online]. 2019b. Disponível em: www.sbcbm.org.br/consenso/#:~:text=Cirurgias%20da%20Obesidade%20(Cirurgias%20 Bari%C3%A1tricas. Acesso em 11 de junho de 2022.