Cerveja sem álcool

Cerveja sem álcool e sua propriedade antioxidante

Autor

Facebook
LinkedIn
WhatsApp
Pinterest

Tópicos do Post

Cerveja Sem Álcool

Muito se fala dos riscos acerca do consumo elevado de bebidas alcoólicas, mas você já parou para pensar que seu consumo moderado pode acabar trazendo benefícios para a sua saúde?

Atualmente, diversas pesquisas comprovam que, quando consumido de forma moderada, o álcool pode contribuir para a redução do risco de desenvolvimento de doenças cardiovasculares e mortalidade, tudo isso devido a diversas propriedades estudadas do etanol. Entretanto, estudos também nos mostram que estes efeitos não são advindos somente do teor alcoólico presente nessas bebidas, mas sim de outros componentes que trazem inúmeros benefícios à saúde, como os compostos fenólicos. Dentro deste contexto, a cerveja, tanto com quanto sem álcool, mostrou-se como uma importante fonte quando falamos destes compostos.

Cerveja sem álcool: composição e benefícios

Segundo a legislação brasileira, a cerveja sem álcool é caracterizada por apresentar conteúdo de álcool com volume menor que 0,5%. Além disso, esta é originada da fermentação da cevada, aromatizada com flores de lúpulo, sendo que os principais constituintes destas são resinas, óleos essenciais e polifenóis. Assim, sabe-se que a cerveja é uma bebida complexa e com ingredientes que conferem propriedades antioxidantes a ela, além de outros inúmeros benefícios já descritos na literatura. (Camelo, 2014)

Segundo estudos, a cerveja contém cerca de 366- 875 mg de polifenóis/L e mais de 50 compostos fenólicos já foram encontrados nessa bebida, sendo assim uma fonte natural de antioxidantes. Apesar de possuir uma menor quantidade de compostos fenólicos do que a sua versão alcoólica, a cerveja sem álcool também apresenta propriedades muito significativas e sem os efeitos negativos que podem ser causados devido às altas doses de etanol. (Camelo, 2014)

Os compostos fenólicos e sua ação antioxidante

Antioxidantes são compostos que podem oferecer proteção contra o estresse oxidativo relacionado a diversas doenças como aterosclerose, diabetes, doenças neurodegenerativas e câncer. Os compostos fenólicos constituem a principal classe de antioxidantes naturais presentes nos alimentos de origem vegetal e, assim, são os mais abundantes na dieta. (Feistauer, 2016)

Como já foi descrito, as cervejas, por serem produzidas a partir de vegetais, possuem uma matriz complexa rica em polifenóis, os quais possuem distintas atividades biológicas, como ação anticarcinogênica, antioxidante e anti-inflamatória. Além disso, a capacidade antioxidante do plasma é ampliada devido à rápida absorção desses compostos fenólicos. (Feistauer, 2016)

Em relação à sua composição na cerveja, 20 a 30% dos compostos fenólicos são procedentes do lúpulo, enquanto de 70 a 80% possuem origem do malte. Estes compostos possuem a capacidade de retardar e/ou prevenir as reações de oxidação durante o período de produção, determinando a vida útil da cerveja, além de influenciarem o sabor. (Silva, 2021) Apesar de todas estas evidências, mais estudos em humanos são necessários para determinar se a concentração plasmática desses compostos provenientes do consumo moderado de cerveja tem a mesma atividade daquela observada in vitro, garantindo, assim, seus benefícios.

Alternativas sem álcool

Muito provavelmente você não imaginava que a cerveja poderia trazer estes diversos benefícios para a saúde humana, não é mesmo? Entretanto, optar pela versão sem álcool acaba sendo uma ótima alternativa, trazendo esses benefícios sem correr o risco dos efeitos negativos que podem ser causados pelo álcool, principalmente em grandes quantidades. No Empório Sem Álcool, há diversos tipos e sabores para você aproveitar! Para mais informações, acesse o link.

 

Referências

CAMELO, Vera et al. Cerveja não alcoólica, antioxidantes e seus efeitos na prevenção de doenças. Rev Bras Nutr Clin, [s. l], v. 2, n. 29, p. 166-171, fev. 2014.   Disponível  em:<http://www.braspen.com.br/home/wp-content/uploads/2016/12/13-Rev-Cerveja- nao-alcoolica.pdf>. Acesso em: 08 jun. 2022.

FEISTAUER, Lucas Brambilla Hilbig. Propriedades antioxidantes da cerveja artesanal. 2016. 75 f. Dissertação (Mestrado) – Curso de Programa de Pós-Graduação em Ciências Biológicas: Bioquímica, Instituto de Ciências Básicas da Saúde, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2016. Disponível em:<https://www.lume.ufrgs.br/bitstream/handle/10183/147871/001000713.pdf?sequ ence=1&isAllowed=y>. Acesso em: 08 jun. 2022.

SILVA, RNP da .; DIAS, JF; KOBLITZ, MGB Cervejas: relação entre estilos; compostos fenólicos e capacidade antioxidante. Pesquisa, Sociedade e Desenvolvimento , [S. l.] , v. 10, n. 3, pág. e42210313471, 2021. DOI: 10.33448/rsd-v10i3.13471.   Disponível  em:<https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/13471>. Acesso em: 08 jun. 2022.